Notas

[1] Gulliver, 1992, R.J., 1999, cap. XXII, nota [2]; e cap. IX

Os termos “explicação científica”, “fenomenológico”, “casuística”, etc, são utilizados dentro de um jargão pop-caricatural, devidamente repisado pela mídia corporativa para promover, de fato, uma pseudo-ciência. A pseudo-ciência é o próprio encobrimento dos relatórios da Força Aérea, de Keyhoe, Ruppelt, McDonald, Hynek, etc. O termo eufemístico e nebuloso “ufo” foi lançado em consequência do Painel Robertson e do Livro Azul, programas da CIA (com suas típicas torções linguísticas).

O termo “fenômeno-ufo” foi replicado e patenteado pelo cientista profissional Jacques Valée, num arroubo de provincianismo precoce: Gulliver, 1992, cap. XXI.

É claro que se há “seres” capazes de interferir no Sol com corpos maiores que a Terra... Estes não poderiam ser apenas “inteligências”, ou civilizações “extraterrestres”, mas habitantes de camadas, ou dimensões, superlativas em relação a nós. Por sua vez, as civilizações humanas avançadas observam a vida na Terra desde sempre... Estas circunstâncias não se provariam por meio de alguma ciência de “objetos”...
Certamente, em ambas as hipóteses, deveríamos procurar por depoimentos históricos sobre “o que existe”... As aparições não poderiam ser Fatos Isolados.

[2] Numa situação cívica similar ao Judiciário brasileiro, prepotente, propinado e autocrático, acusando a classe política que, ao mínimo, está sempre obrigada a se reportar, e obter votos, do público. E assim também como os fiscais ambientalistas fascistóides da "lei Ecológica"...!

 

 


[3] No dia 04 de Dezembro de 2014 o Corpo Azulão apareceu ao lado do Sol, bem atrás de Mercúrio, de modo que parecia alguma "sombra" deste planeta... Mercúrio gira mais rápido que a Terra (numa órbita interior), de modo que sempre aparece ultrapassando a Terra em cada órbita (e para a visão do Lasco); e assim também Venus.
Marte, asteróides, Jupiter e Saturno, são ultrapassados pela Terra em órbita: da mesma forma, aparecem se movendo lentamente para a direita, acompanhando o movimento do Lasco (assim como todo o fundo de estrelas). Mercúrio e Venus aparecem se movendo para direita, e esquerda, conforme ultrapassam a Terra em órbita, à frente, e atrás, do Sol.
Não considere as linhas horizontais. Corpo astronômico grande embaixo de Mercúrio: estrela, ou Saturno um pouco fora de lugar?

 

Entretanto, o Corpo Azulão continuou na mesma posição nos dias 05 e 06, enquanto Mercúrio foi se escondendo atrás do Sol

 

 

No dia 07 o Corpo Azulão continuou na posição, enquanto o Sol emitia tremendas rajadas de massa coronal...

 

E nos dias 08 e 09; o Sol com fortes emissões de massa coronal

 

 

Esta é a penúltima foto do Corpo Azulão, do dia 12, acompanhado do "objeto" Pinça, e Mercúrio saindo detrás do Sol.

 

Doze minutos depois, no fotograma seguinte das 12:18, o Pinça ainda está na mesma posição, e assim o Azulão

 

Qual a única explicação para o Corpo Azulão??

Em 2007 e 2008 numa série das assim chamadas "canalizações" [psicografias, textos oraculares que caracterizam toda a história das humanidades antigas] foi anunciado que Jupiter deveria ser transformado num "Segundo Sol", para que o conjunto do Sistema Solar pudesse ser revitalizado, ou sofrer colapso [origem das diversas lendas e profecias de cunho religioso].

Os Seres responsáveis por esta engenharia seriam seres MACROSCÓPICOS, pertencentes a uma certa camada mais energética de manifestação da vida em nossa Galáxia - sendo esta dada como um Universo-Local, dirigido e organizado por estes seres macroscópicos. O método utilizado seria uma intervenção em Jupiter, para que ele acionasse seu processo interno de transformação de hidrogênio em hélio. Aumentando de volume e de luminosidade Jupiter se tornaria uma "anã-branca"... [o que foi retratado em caricatura no filme de Clarke, "Odisséia 2010"].

Para que a expansão de Jupiter não destruísse a vida na Terra, ela deveria acontecer enquanto Jupiter estivesse atrás do Sol, em relação à Terra. De início anunciada para a passagem do ano de 2007 para 2008, a previsão finalmente deve ter ocorrido em jan/fev de 2009. Parece bem mais bizarro e improvável que filmes de hollywood, ou que lendas religiosas... Porém a expansão de Jupiter ficou registrada nos fotogramas de um dos satélites Stereo do período --

E NÃO FORAM APAGADOS PELA DIRETORIA DA NASA! Preencha as datas desde o dia 16 de JAN até 04 de FEV de 2009 e veja a incrível ignição de Jupiter, acionada por uma macro-BOLHA que atravessa o astro, e que é acompanhada por um outro corpo gigante que ingressa no sistema solar:

[Veja o Stereo Behind HI-1, banda-azul, filmagem com o Sol à esq.]
[Veja os fotogramas separados ou como filme]
stereo-ssc.nascom.nasa.gov/browse

Veja-se que não se trata aqui de "seres extraterrestres", ou da questão da pluralidade dos mundos habitados, mas da intervenção de seres energéticos, complexos e macroscópicos em nossa realidade astronômica. Estes eventualmente poderiam ser chamados de "deuses", desde de que em seu sentido mais original pagão... E, de fato, não foi provado cientificamente que deuses pagãos não possam ser reais...

Nesse caso, os referidos membros de civilizações humanas denominados de "federação galáctica" se acercam apenas como observadores e co-adjuvantes. A explicação final para o fato do segundo Sol não ser avistado é que sua órbita está sendo mantida em oposição à da Terra... Mas isso só seria possível se Jupiter fosse levado a um grau mais rápido de frequência - Jupiter estaria sendo mantido numa outra dimensão do nosso Sistema solar. Isso explica a aparição do Corpo Azulão numa frequência saturada. Essa engenharia teria justificativa num programa de proteção p/ os terráqueos...  Na antiga posição de Jupiter um corpo artificial é mantido até que possa haver melhoria na cultura humana da Terra, que teria relação histérica com o fato.

E com isso o Sol entrou em intenso período de ejeções de massa coronal - porém quase todas dirigidas no sentido oposto ao da Terra - (muita sorte) - !


Esta foi uma das poucas vezes em que as ejeções de plasma do Sol vieram na direção
da Terra [e do satélite]. As grandes labaredas, se viessem em nossa direção, poderiam
afetar o equilíbrio da Terra em órbita

 

No conjunto cosmogônico dado, isto é anunciado como parte de uma série de intervenções em Venus, Terra, Marte, asteróides, etc. Estas intervenções são a Restauração do antigo Sistema Solar, devastado por guerras em cerca de 900 mil aC.

A aparição circunstancial do segundo Sol, algumas vezes captada por fotógrafos no início do sol-nascente, é a única explicação para o Corpo Azulão. Nesse caso, o tom escuro seria resultado de alta frequência luminosa (com a linha horizontal de saturação; p. ex., e não ao contrário, de infravermelho).

Em tempo: os Cientistas Profissionais da Nasa não apagaram os fotogramas do Stereo-B, mas publicaram uma explicação no sentido de "vejam os reflexos da luz de Jupiter quando ele se desloca junto ao canto direito da lente" - o que é notóriamente inverídico e incoerente: os Cientistas, nesse caso, estão fazendo um pedido de S.O.S. ... Alem disso, as filmagens não parecem ser provenientes da posição em que estava o Stereo-B em relação a Jupiter...

Que a classe dos Cientistas, em sua Santa Ignorância, não possa entender, ou "pesquisar" sobre Deuses Pagãos é compreensível. Que sejam ignaros em relação a fotos de satélites astronômicos é uma ofensa ao Estado, que paga seus salários para que eles se divirtam com suas fórmulas abstratas.